Vazamentos dos transformadores elétricos: como ocorrem e como resolver?

Vazamentos dos transformadores elétricos: como ocorrem e como resolver?

Os transformadores têm gaxetas de vedação, que vedam a entrada de ar e umidade e principalmente evitam que o óleo saia do equipamento. Com a operação normal do transformador, ele acaba aquecendo, esfriando e vice-versa. Esse movimento térmico faz com que as juntas e gaxetas acabem se deteriorando, ou seja, enrijecendo e fissurando.

Isso causa o vazamento do óleo, o que é extremamente prejudicial para o funcionamento do transformador, devido aos seguintes motivos: pode acarretar problema ambiental, já que pode entrar em contato com o solo; favorece a entrada de umidade do ar, seja em locais fechados ou não; a depender do ponto em que esteja ocorrendo o vazamento, o nível de óleo pode baixar muito e comprometer a isolação, podendo causar o acionamento dos dispositivos de proteção (indicador de nível, rele de gás) e, no caso de falhas no acionamento ou  na ausência destes dispositivos, eventual queima do transformador, isto é, avaria.

Como perceber se o transformador está com vazamento?

Para perceber se o transformador está com vazamento, a Trafocare oferece serviços de inspeção visual do equipamento que, normalmente, é feita durante a coleta de amostra ou por meio de uma inspeção visual específica, recomendada, no mínimo, mensalmente.

O que um vazamento não corrigido pode causar?

A depender da gravidade do vazamento, existe um grau de urgência. Normalmente, os vazamentos são de pequena monta, nos quais se pode programar a parada do equipamento para poder se executar o serviço, já que só pode ser realizado com o transformador desligado, pois normalmente se entra em contato com a área energizada do transformador ( buchas de alta e baixa tensão e também com os acessórios). Por isso, é essencial que o transformador esteja desligado.

Em geral, existe um prazo para programar a parada do equipamento. Em casos mais graves, como o vazamento de grande monta, deve-se executar o serviço imediatamente. Para tanto, a Trafocare está preparada com know how técnico e equipe especializada para executar os serviços em caráter emergencial.

Dessa forma, em casos de vazamento de grande monta, o dispositivo de segurança será acionado, se estiver atuante e, então, o transformador será desligado. Em vazamentos de grande monta, os dispositivos de segurança são:

  • Indicador de nível: possui um sensor de desligamento, assim, ao chegar no nível mínimo, ele alerta para que o equipamento seja desligado;
  • Relé de gás: quando o indicador de nível falha, na sequência, o relé de gás também desliga o equipamento por falta de óleo. O Relé de Gás a principio não é um dispositivo de proteção própria contra falta de óleo, e sim de acumulação de gases devido a falhas dielétricas catastróficas dentro do equipamento, porém em último caso será acionado por vazamento de óleo.

Assim, com uma parada inesperada, o cliente pode perder em produção e produtividade.

Serviço de correção da Trafocare

Como dito, nos vazamentos de grande monta, a correção deve ser feita imediatamente, enquanto nos vazamentos de pequena monta, a correção pode ser programada.

Primeiramente, deve-se desligar o equipamento; depois, abaixa-se o nível de óleo parcial ou totalmente, a depender de onde ocorrer o vazamento. Então, é feita a desmontagem do local especifico que está com as juntas ou gaxetas defeituosas, fazendo a sua substituição. Em seguida, é feita a remontagem do equipamento. Depois, é feito o reenchimento do equipamento com óleo, fazendo o tratamento deste com máquina termo vácuo, porque ao ser retirado do transformador, o óleo tem contato com a umidade. Nesse sentido, o tratamento retira a umidade adquirida.

Quando se substitui as juntas ou gaxetas, é feito o teste hidrostático. Depois de preencher totalmente o nível de óleo, é colocada uma pequena pressão positiva com Nitrogênio, então, é verificado se há vazamento ou não. Essa é uma inspeção visual para analisar se o local que estava vazando volta a vazar. Se não voltar a vazar, pode-se energizar o transformador.

O tempo para realizar o serviço de correção pode variar a depender do tamanho do transformador. Em transformadores industriais, de pequeno porte, classe 15 kV, normalmente, a Trafocare realiza esse processo entre 6 – 10 horas; já em transformadores de grande porte até a classe 142kV, o serviço é realizado em até 24-48 horas; finalmente, em transformadores > 142 KV, a Trafocare elabora um cronograma específico.

A incidência de vazamentos em transformadores é grande e, ainda que muitos fabricantes saibam que é necessária uma excelente qualidade dos materiais, principalmente, da borracha usada nas gaxetas e juntas dos transformadores, feitas de um material chamado Elastômero à base de Copolímero Acrilonitrila Butadieno (Borracha Nitrílica), a sua qualidade no mercado brasileiro não é garantida. Apesar de um ter boa resistência ao óleo mineral e possuir um excelente custo-benefício, a qualidade da Borracha Nitrílica no mercado brasileiro normalmente não é satisfatória, sendo essa falta de qualidade atribuída ao processo de fabricação.

Na comissão de estudo ABNT/ACE-003:010.001 do  COBEI, tem-se estudado e verificado a  eficácia desse material, sendo que alguns  fabricantes   já decidiram substitui-lo por um outro tipo de borracha, chamado Flúor Silicone, que possui maior resistência, principalmente, em transformadores grandes (acima de 142kV) que exigem custos e tempo de reparo maiores, se comparados aos transformadores de pequeno porte (classe 15kV).

Saiba mais sobre serviços e manutenção de transformadores elétricos em: https://trafocare.com.br/.

Leave a Comment